terça-feira, 24 de junho de 2008

Ponto de partida

"Não deixe as portas entreabertas, escancare-as ou bata-as de vez, pois entre vãos, brechas e fendas passam semi-ventos, meias verdades e muita insensatez" (Hilda Hilst)

10 comentários:

Anônimo disse...

Boa tarde,

Sou aluna da professora Nilma Lacerda e cheguei ao blog por eio dela.
Acho sempre mutio interessante as citações. Reparei nesta de Hilda Hilst e me chamou muita atenção pois acabo de estudá-la.
Me facinei pela escritora, e pela sua capacidade de traduzir em palavras sentimentos e anseios humanos que são sempre tão confusos.
Parabéns pelo blog e pela iniciativa de trazer intertextos que instiguem os outros.

carolina chebel

May Alek disse...

Olá, Carolina.
Obrigada por sua visita.
Sim, a intertextualidade é essencial, implícita ou explícita, ela está sempre presente em nossos textos. Afinal, somos um complexo de leituras e vivências.
Um abraço carinhoso.

Carolina teixeira disse...

Boa tarde, sou aluna da Professora Nilma Lacerda, da UFF e devo dizer que essa citação me impressionou bastante. Não só porque acabo de conhecer um pouco da obra de Hilda Hilst, mas porque essa metáfora da porta me relembrou uma música chamada Grito de Alerta que diz assim:

"Veja bem, nosso caso é uma porta entreaberta,
eu busquei a palavra mais certa,
vê se entende o meu grito de alerta,
veja bem é o amor agitando o meu coração,
há um lado carente dizendo que sim, e essa vida da gente gritando que não".

Acho sim que devemos tocar nossas vidas e fechar ou abrir as portas de vez. A vida é uma batalha diária e não podemos abandoná-la pela metade.
Parabéns pelo blog!


Carolina de Oliveira Teixeira

May Alek disse...

Carolina Teixeira,
Excelente a lembrança da música de Gonzaguinha!
Sim, viver é uma batalha diária, às vezes árdua, às vezes nem tanto, muitas vezes uma batalha feita de sorrisos (há sorrisos também nas lutas). Como o seu, neste seu comentário.
Obrigada pela visita.
Um abraço.

Anônimo disse...

boa tarde.
não estou a perceber muito bem o esquema,mas vou deixar o m/ comentário,de qualquer forma irá chegar a bom Porto.
Gostei do que li e virei maisvezes.
bjinhos
marylyz

May Alek disse...

Obrigada, Marylyz.
Venha sempre que quiser. Será um prazer.
Beijinhos

Adriana Dias e Anna Carollina disse...

Olá! Bom dia! Somos alunas da professora Nilma Lacerda na UFF e viemos até aqui por indicação dela. Gostamos muito do blog, e principalmente da sensibilidade que ele passa aos visitantes, parabéns!
Bem, não podíamos deixar de postar um comentário aqui, já que há uma citação tão bela de Hilda Hilst. Fizemos um trabalho há alguns semestres sobre ela e gostamos muito da sua diversidade de temáticas.
Mas enfim, esse trecho nos tocou muito, pela realidade em que vivemos, a das escolas.
Eu (Adriana) acabo de perder um aluno de forma muito brutal e chocante, e ainda estou me recuperando desse baque, mas como o poema diz, há duas opções: fechar as portas e esquecer ou tentar lutar e levar a vida. A minha opção é levar a vida e continuar na luta diária que é ser educadora, para tentar mudar os futuros das nossas crianças, pois elas não merecem os finais trágicos que muitas vezes são desinados a elas. Farei a minha parte, torcendo para que coisa semelhante nunca mais aconteça com meus alunos.
Já eu (Anna) estagiei com uma professora que possui uma doença degenerativa nos olhos, que ao longo dos anos perderá toda a visão. Me admira muito a força de vontade que ela tem ao trabalhar, ao fazer um pouco de diferença na vida dos adolescentes da escola, que a adoram e a tomam como exemplo de luta e persistência. E claro que ela é um exemplo para mim também, pois em meio a uma dificuldade tão grande ela ainda tem a alegria de entrar na sala de aula e tentar construir um conhecimento necessário aos seus alunos.
Enfim, parabenizamos por esse citação que nos tocou tão profundamente, não podia ter sido melhor! E mais uma vez parabéns pelo blog, ele nos diz muita coisa!
Um forte abraço,
Adriana e Anna Carollina

May Alek disse...

Adriana e Anna!
Que felicidade ler o comentário de vocês! Poder compartilhar de suas experiências.
Desejo a vc Adriana muita força para superar as dores e iluminar o caminho de seus alunos.
Anna, também tive uma aluna com doença degenerativa nos olhos e realmente ela era super entusiasmada e interessada.
São tantas as lutas e dores neste mundo que às vezes penso que a minha é bem pequena.
Obrigadíssima pela visita e pelos comentários sensíveis.
Beijos carinhosos.

Eliene disse...

Fiquei muito tocada com a citação escolhida de Hida Hist.Corresponde a exatamente o meu momento de vida.
Obrigada por compartilhar e divulgar texto tão reflexivo.
Bj. Eliene

May Alek disse...

Olá, Eliene.
Que bom recebê-la aqui! Fico feliz que tenha encontrado algo de bom neste meu cantinho.
Obrigada.
Beijos