domingo, 29 de novembro de 2009

A arte salva?

Uns dizem que sim, outros afirmam que não. A arte transforma, diverte, alimenta. Provoca. É a minha opinião.

No sábado, fui ao Oi Futuro, há sempre algo interessante para ver. Assisti com calma as apresentações de videografismo e à performance de Maria Lynch. Uma performance sonora, chamada Corespaçoforma. Três bailarinos se movem ao som de ruídos, os corpos anulados pela roupagem colorida e a respiração quase imperceptível transformam os seres numa massa de cor. Estranho. Lúdico. Intrigante
.










Na rua, o homem perguntou: o que é isso? e respondeu: ah, é um evento. Seguiu adiante.













Vó que dança na rua

Ontem também foi dia de Primavera dos Livros, uma feira de livros organizada por editoras pequenas, com estandes padronizados e muitas flores. No jardim do Museu da República. Escolheram uma data ruim, fim de mês (ano passado foi a mesma coisa). Até havia livros baratinhos, mas estou controlando as despesas, cartão de crédito só em último caso. Vi algumas caras conhecidas, gostei de ver as crianças cantando, encontrei a Lou do blog comentalidades e seu neto inteligente. Ficam as fotos.

Mesa-redonda sobre literatura de cordel
No meio da multidão, o poeta Carlito Azevedo













Lou, a vó que dança na rua e também faz arte
E seu neto inteligente e eu


















Sexo com Madonna
Na sexta, conheci um espaço super legal: Telezoom, na Dias Ferreira, a rua mais in do Leblon. Numa cobertura muito charmosa, as pessoas se encontram para falar de música, cinema, literatura e dizer muitos poemas. Foi a noite de Mano Melo, poeta, escritor, ator, uma figura muito simpática, nascido no Ceará, cidadão do mundo. O sexo com Madonna aconteceu no poema (eu acho!). Seus convidados também deram um show. Claufe Rodrigues, Tavinho Paes e muitos outros. Encontrei a Antonella Catinari, escritora e professora, terminamos a noite no Cafeína, onde degustei uma tartelete de damasco.



As charmosas












Multiplicidade


Arto Lindsay, americano criado no Brasil, provocou orgasmos e distorções com sua guitarra, na plateia modernosoa que lotou o pequeno auditório, na quinta-feira, também no Oi Futuro. Nas mãos do músico, o instrumento geme, range, berra, estronda. Masturbação profunda. Ele cantou em inglês e em brasileiro (hum, percebem?!). Bossa nova. Uma hora apenas. E começou com atraso. Seco. Complexo. Dessa vez não levei a máquina fotográfica. Mas se quiserem saber mais ou ouvir, o carinha tem myspace, é só colocar o nome no google. Adorei.



Meu fígado anda mal. Percebo isso no meu humor. Hipócrates tinha razão. Aristóteles, idem. A arte pode ser catártica. E não pensem que estou montada na grana. A maior parte dos eventos não me custou um centavo. Divirtam-se!

8 comentários:

Madalena disse...

Olá May! Gosto muito de te ler. A grana também salva, sobretudo aqueles que a têm e adoram usá-la na "compróterapia"... lol Mas a terapia da arte pode decorar menos o corpo mas decora mais ricamente o lado de dentro do eu. Este post é lindo! É sensual e simples, porque a sensusalidade não se compra: é (como a electricidade). beijinhpos, May!

maguie disse...

Passei para deixar um beijinho
o post está fantástico, e as fotos estão lindas, você está linda
um beijo grande
..

Lou Magalhães disse...

A arte me salva, desde que nasci.
Filha de artista, cresci transitando nesse espaço libertador,lá onde se exorciza o lado B da vida.
E é muito bom, quando a vida me aproxima de pessoas sensíveis , como você, que não me trata como marciana, rs...
Adoramos te encontrar lá, obrigada pelo carinho!
beijos
Lou, "A avó que dança na rua"

IsaLenca disse...

E óptimo poder aproveitar esses espectáculos- são doferentes, simples, e normalemente interagem bastante com o público. E serem gratuitos ainda melhor.
Giro é ver que a vovós que dança não parece vovó, o menino tem mesmo ar de intelectual e malandro...e tu pareces uma menininha, com ar bem disposto! E assim é que nós queremos que seja sempre.
Bjs

Lina Querubim disse...

Oi May :) gostei do que li e vi ;) faz bem em partipar naquilo que gosta e lhe faz bem!
Beijokas e cuida-te

Loulou disse...

Beijão grande de Luanda ;)

Quem Não Tem Cão disse...

A ARTE salva mesmo... às vezes até de nós próprios!
May - ainda lamento ter sido tão mau anfitrião... falamos tão pouco!
Beijo
RG

Gatapininha disse...

Olá Maisa
Gostei muito do post.
Ainda bem que dá para se divertir sem gastar muito:)

Faço votos para que os humores estejam melhores.

jokas e bom fim-de-semana